aposentadoria privada e pública

Aposentadoria Privada e Aposentadoria Pública

Nos dias atuais é normal escutarmos pessoas falando sobre tipos de aposentadorias. Até porque o país junto com os programas de seguridade social está colocando na cabeça dos brasileiros ideias de pensarmos mais no futuro.

Ou seja, não se deve trabalhar e pensar apenas no agora. Mas, sim, criar uma boa base para ter uma velhice calma e estável.

Pois bem, e é nesse momento que vem a indagação: qual seria o melhor, a aposentadoria privada ou a aposentadoria pública?

Esses dois tipos são plenamente garantidos pela Constituição de 1988. Porém, cada um possui peculiaridade e requisitos específicos.

Resolvemos então criar esse texto para tirarmos todas as suas dúvidas.

Aposentadoria na Previdência Privada

A previdência privada também chamada de complementar é um tipo autônomo de pagamento de benefício, não tendo nenhuma relação com o Instituto Nacional do Seguro Social – autarquia federal responsável pela distribuição dos valores da previdência social do Brasil.

Então, ao falarmos de previdência social a ideia que vem a cabeça será sempre de previdência pública e nunca de previdência privada.

Para entender a previdência privada é preciso que se tenha conhecimento que é uma iniciativa que deve ser tomada por cada indivíduo, sendo totalmente opcional.

Assim como o INSS é responsável pela fiscalização do pagamento da previdência pública, na previdência privada o órgão responsável por essa atividade quando o seu plano é aberto será a SUSEP – superintendência de seguros privados, já para os planos fechados será a PREVIC – superintendência nacional de previdência complementar.

Dessa forma, o cidadão que aderir a esse tipo de aposentadoria complementar para o futuro deve ter em mente que além de opcional ele é para melhorar o seu poder aquisitivo. Ou seja, não tenha apenas a previdência privada para garantir sua estabilidade, mas sim para aumentar a renda.

Primeiro busque a previdência social e como uma forma de ter uma renda maior, invista na previdência privada.

Entenda como sendo uma reserva individual que ao final você terá acesso a todo o dinheiro que foi depositado ao longo dos anos.

Ao entender essa ideia, poderá ficar o questionamento; porque a previdência privada e não uma conta poupança?

No fundo da previdência privada o seu dinheiro renderá mais, além de servir como base para investimentos.

Muito indiciada para empresários, comerciantes e empreendedores. Além de ofertar vários benefícios que também são fornecidos pela previdência pública como a aposentadoria, entre tantos outros.

Após observar suas vantagens, é preciso trazer a sua grande desvantagem.

A previdência privada pode ser ofertada por qualquer instituição bancária ou de grande movimentação. Por isso, muita das vezes a taxa de gestão das contas passa a ser altíssima, sendo ao final, nada lucrativo você guardar o seu dinheiro.

Então, se pensou em uma previdência privada, em primeiro lugar, analise com calma as cláusulas contratuais apresentadas pelos gestores e opte pela melhor opção para você.

Nunca feche contrato com empresas que não são sólidas ou conhecidas no mercado. Lembre-se sempre da possibilidade de falência daquela empresa contratante.

Possibilidade essa que pode ser afastada com base no seu histórico no mercado.

Tenha certeza que o seu investimento será realizado com sucesso. Se isso acontecer, a aposentadoria privada será muito bem aproveitada no futuro.

Aposentadoria na Previdência Pública

A previdência pública é o conceito mais conhecidos pela maioria dos brasileiros.

Custeada pelos trabalhadores, empregadores e Governo Federal, a previdência social tem o condão de proteger os brasileiros que trabalham de carteira assinada ou fazem mensalmente o pagamento do carnê previdenciário.

De forma automática, a sua entrada nesse sistema não pode ser renunciada. Ou seja, tem a CTPS assinada? Você já faz parte dos chamados segurados brasileiros e provavelmente irá se aposentar por idade com o INSS.

Ao contribuir mensalmente e depois de atingir o período de carência (tempo obrigatório de contribuição) é possível dar entrada em qualquer benefício que você se encaixe.

No caso das aposentadorias é possível receber os tipos abaixo:

  1. Aposentadoria por idade: para os homens é preciso possuir 65 anos de idade e para as mulheres 60 anos.

Além disso, o período de carência para esse tipo de aposentadoria é de 180 meses de contribuição.

  • Aposentadoria especial: como o próprio nome relata é uma forma diferente aposentadoria.

Destinada exclusivamente para trabalhadores que exerceram atividade que causassem risco a sua saúde ou integridade física.

Nesse tipo não há que se observar a idade do trabalhador, e sim o tempo de trabalho exercido que poderá varias entre 15, 20 ou 25 anos.

  • Aposentadoria por invalidez: especial para o trabalhador que por conta de doença ou acidente não pode mais exercer seu trabalho e nem ser readaptado para outra função.

Gostou do texto? Não esqueça de compartilhar com os amigos e ficar cada vez mais informados.